fbpx

Amo alguém com transtorno mental. Vamos falar sobre isso?

Sabemos que você chegou até aqui esperando uma resposta pronta para essa questão, mas ela não existe. É preciso ter em mente que cada pessoa é única e tudo dependerá das circunstâncias e do transtorno que essa pessoa porta.

Em todo caso é preciso encontrar o meio termo entre dar o suporte necessário para que a pessoa que você ama se sinta acolhida e respeitada, e não abrir mão da sua própria saúde mental. Se relacionar é um desafio em qualquer situação, mas nesses casos, tudo é ainda mais delicado.

O HuffPost publicou uma lista com 11 coisas que quem ama alguém com transtornos mentais deveria saber, e nós selecionamos algumas delas para você (mas caso queira ler tudo, é só acessar o link).

Um transtorno mental não é algo que é possível simplesmente “superar”.

Leva tempo, tratamento e aceitação lidar com um problema mental. Um transtorno mental se desenvolve no cérebro, e isso é algo complexo. Não está “tudo na sua cabeça” nem é um problema que ele pode “fazer desaparecer” (embora, ele deseje muito que isso aconteça).

A mudança repentina de humor não é por sua causa.

Pode parecer que ela esteja chateada com você, mas saiba que não é nada pessoal. Muitos problemas mentais são caracterizados por mudanças de humor, inclusive por sentimentos de raiva, depressão e mania.

Dá para controlar…

Com terapia, medicação, exercício, grupos de apoio… a lista é infinita. No entanto, é importante lembrar que o tratamento não é de “tamanho único” então, o que dá certo para o primo do seu colega de trabalho pode não funcionar para ela. E isso é OK.

…Mas às vezes ela não vai sentir mais vontade de lutar.

E isso pode parecer o fim do mundo. Os especialistas recomendam incentivar a pessoa a ir ao compromisso ou fazer o que for necessário no seu processo de tratamento. Não desista dela nos dias em que ela desiste de si.

Agora vamos às nossas dicas:

A melhor coisa que você pode fazer por você, pela pessoa que você ama e pelo relacionamento que vocês têm (ou desejam ter) é procurar ajuda especializada.

Mesmo que seu/sua parceiro/a esteja medicado e faça acompanhamento psicológico, se incluir nesse processo pode fazer toda a diferença para vocês. Isso porque não importa o quanto você ame alguém ou o quanto você queira proteger essa pessoa, você não será capaz de sentir como ela se sente ou de protegê-la de si mesma, seus pensamentos e seu transtorno.

Quando amamos alguém, tendemos a querer livrar essa pessoa de todo o mal que existe no mundo e poupá-la dos problemas e das dificuldades. No entanto, se isso é impossível em qualquer circunstância, quando se trata de um transtorno psicológico, tentar “livrar” a pessoa do problema pode parecer invasivo e desrespeitoso. Isso porque, como na lista anterior, não se trata de algo voluntário, que se possa superar apenas com “força de vontade”.

Em resumo, o que pretendemos deixar como mensagem aqui é que respeitar o problema é tão importante quanto respeitar a pessoa.

Com amor, respeito e conhecimento, superar os desafios da relação fica mais fácil.

One thought on “Amo alguém com transtorno mental. Vamos falar sobre isso?

  1. AvatarSharonreemo

    Incredible update of captchas solution package “XRumer 16.0 + XEvil”:
    captchas breaking of Google (ReCaptcha-2 and ReCaptcha-3), Facebook, BitFinex, Bing, Hotmail, SolveMedia, Yandex,
    and more than 8400 another types of captcha,
    with highest precision (80..100%) and highest speed (100 img per second).
    You can use XEvil 4.0 with any most popular SEO/SMM software: iMacros, XRumer, GSA SER, ZennoPoster, Srapebox, Senuke, and more than 100 of other software.

    Interested? You can find a lot of demo videos about XEvil in YouTube.

    Free XEvil Demo available.

    Good luck!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *