fbpx

Dormir combate radicais livres!

Dormir é mais do que apenas descansar. A importância do sono para a saúde vai além da necessidade de descanso físico e mental de adultos e crianças. O sono está relacionado a diversos processos metabólicos que são importantes para a nossa saúde e bem-estar.

Quando você não dorme bem, alguns processos metabólicos podem ser alterados e afetar o equilíbrio e a harmonia do seu organismo. As consequências podem ser sentidas a curto, médio e longo prazo. Quem dorme pouco está predisposto a ter mais cansaço e também infecções, obesidade, hipertensão, diabetes e envelhecimento precoce. Aí entra nossa novidade de hoje…

Sono Antioxidante

Você achou que só cremes caríssimos ou super alimentos detinham o famoso poder antioxidante?… Vai gostar de saber que a solução também pode estar ao alcance de um travesseiro.

Entender como o sono afeta o nosso organismo se tornou essencial no mundo moderno, onde a perda crônica de sono se tornou excessiva e generalizada. Você, por exemplo, quantas noites mal dormidas teve nas últimas semanas?

Foi pensando nisso que pesquisadores desenvolveram um estudo que mostra que sono e o estresse oxidativo, que provoca o envelhecimento precoce, possuem uma relação de mão dupla.

Partindo da premissa de que o sono é necessário para função central da saúde, decidiram analisar o sono de animais que dormem significativamente menos do que o normal, com a hipótese de que compartilhariam um defeito nessa função. Eles estavam certos. Ao analisar um grupo de Drosophila (mosca da fruta) de sono curto, descobriram que elas realmente compartilhavam um defeito comum: todos eram sensíveis ao estresse oxidativo agudo.

Esse estresse oxidativo resulta do excesso de radicais livres que podem danificar as células e levar a disfunções no organismo.

Então eles resolveram testar a hipótese contrária: qual seria o efeito do estresse oxidativo nas funções do nosso sono? Afinal, se o sono tem efeitos antioxidantes, então certamente o estresse oxidativo pode regular o próprio sono. Foi então que descobriram que a redução do estresse oxidativo no cérebro, atingida pela manipulação artificial que induziu a superexpressão de genes antioxidantes, também reduz a quantidade de sono.

RESUMINDO: O sono tem a função de defender nosso organismo do estresse oxidativo, então dormir melhor significa aumentar a resistência aos seus efeitos. Mas o estresse oxidativo, por sua vez, gera mais sono (já que é de dormir que o corpo precisa para se “recuperar”).

Tá ai uma boa razão para investir na qualidade do seu sono e garantir um corpo e mente mais saudáveis!

Referências: Hill et al. A bidirectional relationship between sleep and oxidative stress in Drosophila. PLOS Biology, 2018; 16 (7): e2005206.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *