fbpx

Saúde Mental e Diabetes: como lidar com o diagnóstico?

Checar as taxas de glicemia, tomar a medicação, injetar insulina, cortar carboidratos, atingir as metas na academia ou na corrida, aprender a cozinhar refeições mais saudáveis: a lista de preocupações após o diagnóstico do diabetes é extensa e, mais do que stress e ansiedade, é comum que algumas pessoas sintam o que alguns pesquisadores nomearam como “angústia do diabetes”.

Essa angústia é uma resposta ao fato de ter que lidar com uma doença crônica e as emoções desencadeadas podem estar relacionadas, por exemplo, ao medo de não conseguir tratamento adequado, ao fato de se sentir doente e à sensação de que as outras pessoas não compreendem o diabetes.

O maior problema é que essa angústia prejudica justamente o nível de glicose no sangue e, em adição, as altas taxas de glicose favorecem mais angústia, criando um ciclo. Por isso é preciso evitar crenças como “nada funciona” ou que os “remédios não funcionam”.

Mas sabemos que ao receber o diagnóstico de diabetes, muitas pessoas apresentam as mais variadas reações emocionais. Para algumas choque, negação, medo, raiva, para outras tristeza e ansiedade, mas ainda que para alguns possa parecer o fim do mundo, saiba que se sentir assim é absolutamente normal.

Todos nós passamos por vários estágios emocionais quando temos que enfrentar uma doença crônica, mas é importante encarar essas emoções e não se deixar levar por elas. Isso porque a negação diante do diagnóstico pode fazer com que a pessoa se recuse a tomar as primeiras medidas para gerenciar a doença.

Reconhecer que o diabetes terá um papel importante na sua vida é um passo fundamental para aceitar essa condição e viver de forma saudável com ela (física e emocionalmente).

Se você recebeu o diagnóstico, ou conhece alguém que está passando por um momento difícil após ser diagnosticado, veja a seguir como a doença pode trazer à tona emoções negativas e como lidar com elas:

MEDO 

Pode ser a primeira sensação diante do diagnóstico (juntamente com o choque). O medo em relação ao que ‘vai acontecer’ geralmente está associado com a falta de informação. Felizmente essa sensação costuma diminuir com o tempo, na medida em que você aprende mais sobre o diabetes, compreende que muita coisa pode ser feita para evitar as complicações e passa a exercer mais controle sobre sua saúde.

TRISTEZA 

Sentir-se triste, às vezes, é normal. Entretanto, é preciso observar se a tristeza se tornou constante na sua vida após o diagnóstico. Por isso se você tem experimentado dificuldade para dormir, está sempre cansado, evita tomar decisões e sente-se sem esperança ou desamparado, converse com a sua família e seu médico.

O alerta é importante, já que a depressão é duas vezes mais comum entre as pessoas com diabetes. Mas é sempre bom lembrar que há tratamento com remédios e com psicoterapia com ótimos resultados.

RAIVA 

É sempre difícil encarar eventos que não queremos, que não esperávamos e que não merecemos geram raiva. É natural a pessoa sentir raiva quando recebe o diagnóstico de diabetes. O problema da raiva está no exagero e na constância da revolta que pode assumir a forma de hostilidade e atrapalhar significativamente a qualidade de vida do paciente, tanto diante seu convívio social, como diante o enfrentamento da doença.

Nesta semana tivemos o Dia Mundial do Diabetes, e a melhor prevenção é a informação. Vamos juntos no combate do diabetes!

Fonte: https://www.diabetes.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *