fbpx

Sucesso dos filhos: inteligência ou do esforço?

A tarefa de educar filhos é complexa. Embora muitos pais busquem o melhor para seus filhos, a forma de educá-los e prepará-los para o mundo, infelizmente, não está escrita em nenhum manual de instruções.

Então, aproveitando essa véspera de dia das crianças, vamos dar um presente para você e para eles: dicas de como contribuir para que elas sejam mais bem-sucedidas.

Segundo uma pesquisa desenvolvida durante mais de três décadas por uma professora de psicologia da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, focar no processo (que nada mais é do que a soma de esforço pessoal com estratégias eficazes) ao invés da inteligência ou habilidade é o segredo para criar filhos para o sucesso, seja ele na escola ou na vida.

O que se percebeu foi que crianças que são elogiadas por seu talento inato, por exemplo, podem desenvolver uma crença implícita de que elas nasceram inteligentes, e que o esforço para aprender algo novo é menos importante.

O principal problema é que essa crença faz com que elas vejam desafios, erros e, até mesmo, a necessidade de exercer um esforço como ameaças ao seu ego – e não como oportunidades para melhorar. Isso faz com que percam a confiança e a motivação quando o trabalho não é mais fácil para elas.

Enquanto isso, educá-las para se desafiarem no próprio processo de formação, mostrar a elas que dificuldades podem ser superadas com esforço e dedicação e que erros são ótimas fontes de aprendizado, as tornam mais resilientes.

Quer exemplos práticos de como aplicar isso no seu dia a dia e estimular seus filhos a conquistarem ainda mais sucesso e desenvolver a resiliência dos pequenos desde cedo?

– Não diga “como você é inteligente”; diga “você fez um bom trabalho” e explicite os fatores que fazem com que aquele trabalho seja elogiado;

– Não elogie apenas a nota alta obtida em uma prova, foque o elogio no processo, dizendo, por exemplo: “Você realmente estudou para seu teste. Você leu o material várias vezes e testou-se sobre ele. E realmente funcionou!”;

– Não foque no resultado da resolução de um problema, aponte as estratégias usadas pela criança, dizendo, por exemplo: “Eu gosto do jeito que você tentou essa série de estratégias diferentes no problema até finalmente resolvê-lo”;

– Elogie o tempo de estudo, focando no quanto o tempo dedicado influenciou o resultado. Por exemplo: “Você ficou em sua mesa e manteve sua concentração, por isso conseguiu achar a solução. Isso é ótimo!”;

– Não aponte o erro como uma falha imutável. Pelo contrário, mostre que o erro é apenas um desafio a ser superado e ofereça ferramentas para que a criança possa superá-lo para seguir adiante.

Além disso, tratar os desafios, erros e esforço como aprendizados necessários e positivos pode ajudar as crianças a verem de forma diferente o processo e não encararem com desânimo qualquer situação que fuja de seu controle. Exemplos:

– Nossa, esta é uma operação matemática difícil, vai ser legal resolvê-la!

– Desculpe, isso foi fácil demais para você. Vamos fazer algo que te desafie, assim você poderá aprender ainda mais!

– Que tal se contarmos o que nos desafiou hoje e o que aprendemos com isso? Eu posso ser primeiro!

– Erros são tão interessantes.

– O que podemos aprender com isso?

Esses também são ótimos ensinamentos – e desafios – para os pais, afinal de contas, só com uma mudança na perspectiva da própria educação e forma de encarar os erros e desafios da vida será possível transmitir esses valores para os filhos.

E aí, pronto para encarar o desafio do sucesso junto com os pequenos?

REFERÊNCIA: Dweck, Carol. The Secret to Raising Smart Kids. Scientific America, 2015. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *