Realidade virtual: tecnologia que vai além dos jogos

Imagine a seguinte cena: uma pessoa, através do uso de uma tecnologia, consegue se ver dentro de uma realidade virtual em 3D, onde pode ser outra pessoa, cumprir outros objetivos e, tudo isso, de forma lúdica e recebendo recompensas por isso.

Você imaginou uma cena de filme ou um dos últimos episódios lançados pela série Black Mirror? Pois saiba que não é nada disso. Dos filmes de ficção científica diretamente para o que há de mais promissor para a educação e saúde, a realidade virtual já faz parte da nossa realidade e tudo que precisamos é de um smartphone e de óculos específicos para esse objetivo.

E as possibilidades de uso vão muito além de um “simples” jogo para distrair as crianças. ensaios clínicos que estão testando a realidade virtual para ajudar a tratar muitas condições, incluindo, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), ansiedade, problemas de equilíbrio, dor, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), comprometimento cognitivo leve e lesão cerebral traumática (TCE).

Quer saber um pouco mais sobre como a ciência e os médicos estão adaptando essa tecnologia para o seu uso como terapia? Te damos três exemplos.

Saúde Mental

Com tantos cenários possíveis, os óculos de realidade virtual são ideais para testar técnicas que ajudem as pessoas a lidar com o medo e a ansiedade. Isso é possível já que com o uso da realidade virtual é possível simular situações e monitorar e estudar estados mentais através da análise de alterações nos movimentos dos olhos e tamanho da pupila.

Como fazer isso? Imagine um jogo de vídeo game normal, até eles já são capazes de induzirem emoções de acordo com a temática. Agora imagine viver essa experiência em 3D… Com essa tecnologia os pesquisadores podem criar experiências que são muito realistas e geram medo, permitindo que essa emoção seja estudada e abre espaço para o questionamento sobre novos modos de enfrentamento.

Restaurando o Movimento

A perda de movimento pode ter diferentes causas: um acidente vascular cerebral, uma lesão cerebral, doença de Parkinson ou outras condições. E a recuperação exige dedicação do paciente, já que tende a ser lenta. Por isso, muitos pacientes podem se sentir pouco motivados a levarem os exercícios de fisioterapia, principalmente se forem crianças

Por isso, com a realidade virtual os pesquisadores podem adequar exercícios de reabilitação (que ficam muito mais interessantes para as crianças quando se usa dos efeitos lúdicos da tecnologia 3D) e isso podem ajudar as pessoas a treinar os músculos para melhorar o movimento.

Um dos envolvidos nessa linha de pesquisa enfatizou o diferencial dessa tecnologia ao dizer que com ela possibilita cenários realmente difíceis de fazer na terapia do mundo real, citando como exemplo o equilíbrio. Com a realidade virtual é possível fazer com que todos os componentes do jogo movam as coisas nessa direção e com isso estimular o aprendizado a alcance do controle do equilíbrio.

Distraindo da dor

Além de ajudar as pessoas a processarem experiências mentais desconfortáveis, a realidade virtual pode ajudar as pessoas a lidar com o desconforto físico. Os pesquisadores estão testando como ela pode ajudar a reduzir a dor de certos procedimentos médicos.

Os estudos da equipe mostraram que o programa imersivo reduziu a dor das pessoas durante o tratamento de queimados pela metade em comparação com um videogame normal.

O potencial da tecnologia está na sua capacidade de aliviar a dor distraindo o cérebro. Os pesquisadores por trás desse estudo apontam que as pessoas têm uma quantidade fixa de atenção consciente, portanto, se você desviar parte da atenção voltada do tal procedimento doloroso para outra tarefa, o cérebro experimentará menos dor. Ele ainda destacam que isso acontece mesmo que o mesmo sinal de dor esteja passando pela pele.

E aí, gostou de saber sobre as novas formas de usar a tecnologia e a ciência de forma palpável no tratamento de problemas comuns de saúde? Você pode conferir um conteúdo completo sobre ela no News in Health (o conteúdo está em inglês, mas vale a leitura) e lá você também encontra a referência de todas as pesquisas citadas, caso queira dar uma olhada detalhada no que vem sendo proposto.

Fonte: News in Health. Beyond Games: Using Virtual Reality to Improve Health. July 2019.